O conteúdo é o rei e o relacionamento a rainha

Saiba porque o contéudo é o protagonista na hora de se relacionar nas mídias sociais. E quais são as marcas campeãs de engajamento na rede social com maior audiência.

content

No momento da ativação de perfis nas mídias sociais surge um protagonista: o conteúdo. Cada mídia social exige um conteúdo segmentado, adequado para aquela plataforma. O usuário pode possuir perfis em diferentes plataformas, mas ele quer receber informações adequadas para cada uma delas.

Ao produzir o conteúdo é importante saber sobre o comportamento do usuário. Por exemplo, por que as pessoas curtem uma marca no Facebook? O levantamento do eMarketer (2011) mostrou que, para os usuários dessa mídia social, as razões mais comuns para se curtir a página de uma marca é a lealdade (49%) – público fiel, o desejo de acompanhar notícias sobre produtos (46%) – interesse contextual, e a busca por recompensas (46%) – público que não é fiel. Sobre o melhor caminho para que os consumidores tornem-se leais, a pesquisa revela que consultas e reclamações sendo atendidas 24 horas por dia, durante os sete dias da semana foi a principal razão para se manterem leais (34%), recompensas por compras e feedbacks ficaram na segunda colocação (20%).

Além de comportamento, é indispensável prestar atenção no EdgeRank. Ele é um algoritmo utilizado pelo Facebook para definir quais atualizações serão mostradas no Feed de Notícias dos usuários, baseado em três fatores: afinidade entre usuário e fan page, peso (interações da publicação) e data da publicação. Ou seja, se você não pensa o seu conteúdo para Facebook de forma estratégica, você pode estar falando sozinho. Os números mostram porque você deve pensar no EdgeRank: os usuários estão de 40 a 150 vezes mais propensos a consumir o conteúdo de uma marca no Feed de Notícias do que visitando uma fan page. E como os usuários reagem ao tipo de mídia postada? Veja abaixo:

  • Postagens com imagens conseguem 22% a mais de engajamento em relação a postagens com vídeos;
  • Postagens com imagens possuem 54% a mais de engajamento em relação a postagens de texto ;
  • Porém, postagens com vídeos têm 27% a mais de envolvimento em relação a postagens de texto.

Outra dica importante é não tornar-se um flooder. Ser um flooder é inundar o feed de notícias do usuário. Outras atitudes que geram unlike são excesso de propaganda, tédio, quando o interesse é pontual (promoções) e falta de adequação.

Depois de pensar o seu conteúdo, preocupe-se com a forma como você irá manter o relacionamento com os usuários. As dicas básicas nesse momento são: não seja intrusivo demais, não seja frio demais, não deixe as pessoas falando sozinhas, responda somente o que for perguntado, não ignore as informações que as pessoas estão lhe dando, assuma o erro, nunca delete posts de usuários. Existe espaço nos perfis corporativos para redigir “regras de uso”, liste que tipo de mensagens não serão permitidas, como: propaganda, pornografia e ofensas pessoais. Descrever as regras de uso é uma maneira de se proteger de alguns usuários mal intencionados. Contra eles os perfis nos trazem a possibilidade de, além de excluir posts, excluir usuários e até baní-los. Porém, só faça isso em último caso. Nunca use esses recursos para se livrar de possíveis problemas. Para resolver problemas a melhor forma é ser transparente e mostrar interesse em solucioná-los.

Utilize o espaço que as mídias sociais dão a você e a sede de informação dos usuários para falar sobre o seu produto. Para isso, tenha uma linguagem definida e constante, um perfil corporativo não pode ter mau humor. Faça perguntas e enquetes, faça uso de jogos sociais e aplicativos e não esqueça: a internet transformou-se em um ambiente colaborativo, faça isso tudo junto com os seus fãs e seguidores.

A fase que permeia todas as outras é o Monitoramento. Monitore, pois só assim você irá melhorar e atender as demandas do seu público. O público nos dá os caminhos que temos que seguir. É através do monitoramento que você irá verificar o tipo de relacionamento estabelecido e traçar novas estratégias de atuação.

Um infográfico da GraphMonitor  traz as marcas que mais se destacaram no Facebook Brasil no decorrer de 2012 quando o assunto é audiência e engajamento. Dos mais de 83 milhões de brasileiros conectados, cerca de 75% estão inseridos na rede, segundo dados do Ibope Nielsen Online.

A Brahma Futebol foi a marca que mais conquistou fãs no ano passado, com um crescimento de 186%, e também foi a campeã de engajamento. Já a capital que mais possui usuários conectados ao Facebook foi São Paulo, como era de se esperar pelo número populacional. Rio de janeiro vem logo atrás.

Confira esses e outros dados no infográfico abaixo:

engajamento_facebook

fonte: blog Pinceladas Digitais

Anúncios

Estudo mostra como brasileiros se relacionam com marcas no Facebook

A Gauge realizou uma pesquisa para descobrir como os usuários brasileiros do Facebook se comportam em relação às marcas. O estudo revela que as mulheres dominam as interações com as empresas e publicam 40% a mais do que os homens. Para alcançar os resultados da pesquisa a consultoria utilizou métodos quantitativos e qualitativos, que levou aproximadamente um ano para ser realizado e abordou diferentes segmentos de consumo: cervejas, destilados, bebidas não alcoólicas, bancos e carros.

As mulheres estão dominando a presença na rede social, representando 54% dos usuários, assim como lideram as interações com as marcas, já que realizam, em média, sete publicações por dia, enquanto os homens fazem apenas cinco.

Facebook-Brands - Cópia

E como elas utilizam o Facebook?
18 a 25 anos – Falta critério, sobra humor: 49% não têm critérios definidos ao curtir uma página no Facebook; 93% curtem páginas de humor; 61% compartilham conteúdo para se divertir e divertir amigos; apenas 30% curtem uma página para ficar informada; 25% para conhecer lançamentos; e 6% curtem páginas para participar de promoções.
26 a 35 anos – O impacto da experiência real: Os principais motivos para curtir uma página são: 65% indicação de amigos; 38% consumo da marca no dia a dia; 35% lembranças de momentos. Além disso, 33% delas buscam promoções e lançamentos e 57% querem dicas de utilização de produtos.

Mais de 35 anos – O curtir tem mais valor: 62% curtem páginas que tenham ligação com a profissão e 80% curtem apenas páginas de marcas que consomem no dia a dia. O que elas buscam são informações para definir a decisão de compra, interação e respostas da marca, e ética e responsabilidade no mundo físico e digital.

Órfãos digitais
Os usuários com idade a partir de 26 anos são os mais fiéis e têm relações mais duradouras com as marcas. As ações de grandes empresas dentro do Facebook, no entanto, parecem muitas vezes ignorar esse público. A grande maioria das marcas aposta no conteúdo de humor como principal forma de interação, mas esse tipo de publicação capta a atenção principalmente de pessoas com menos de 25 anos. Apenas 17% dos usuários com mais de 36 anos costumam curtir páginas de humor, 36% dos entrevistados buscam páginas que tenham a ver com sua profissão e estudo e 34% dos usuários a partir dos 26 anos acompanham as páginas para se informar.

Jovens infiéis

Pessoas com idade entre 18 e 25 anos são menos fiéis. O mesmo jovem pode curtir duas ou mais páginas de cerveja, não por consumir, mas por status ou influência dos amigos, por exemplo. Sendo assim, 39% não têm critério para curtir uma página, vai do momento, e 26% nem sempre curtem uma página de produto que utilizam no dia a dia, mas sim pelo que a marca representa para ele.

A experiência real faz a diferença

A relação com as marcas no mundo real é critério determinante para a maneira como as pessoas se relacionam com elas dentro do Facebook: para 54% de todo o público pesquisado a imagem real da empresa é determinante para curtir uma página. Nesse público, 65% compartilham conteúdos que lembrem pessoas próximas; 40% curtem páginas de marcas que tragam lembranças sobre momentos de suas vidas; 74% curtem apenas páginas de produtos que consomem no dia a dia; 57% já postaram conteúdos sobre as marcas em seus próprios perfis; e 66% acreditam que marcas são assuntos tanto na internet quanto no dia a dia com seus amigos.

As marcas sabem o que estão fazendo no Facebook?
A maioria das empresas presentes no Facebook se esquece de dois pontos cruciais nas redes sociais: relacionamento e conteúdo adequado ao seu público e perfil. As pessoas analisadas na pesquisa empírica afirmaram que ainda falta muito para as empresas conseguirem se relacionar com elas de forma correta: 66% buscam informação nas páginas que curtem; 87% analisam o conteúdo oferecido antes de curtir a página; 40% querem conteúdo que se associe com suas lembranças; 54% afirmam procurar páginas de marcas com as quais se identificam para curtir no Facebook; e 74% só curtem páginas de marcas que consomem no dia a dia.

Fonte: Proxxima